A EXIGÊNCIA DE NÍVEL SUPERIOR PARA INGRESSO NA POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS: ANÁLISE SOB A ÓTICA DO PLANEJAMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Thiago Ramos Santos, Paulo Tiego Gomes de Oliveira

Resumo


Seguindo tendências contemporâneas, a Polícia Militar de Minas Gerais passou a exigir em 2010 o nível superior de escolaridade para ingresso na Corporação. As polícias estaduais brasileiras lidam com temas de frequente discussões no âmbito da segurança pública sendo mais recorrentes a unificação das Polícias Militar e Civil, a desmilitarização, além da realização do ciclo completo de polícia. Os motivos alegados para se exigir nível superior de escolaridade se alicerçam mais em ideias conservadoras do que na melhoria do serviço público ao cidadão, além de estarem na contramão das teorias de planejamento da Administração Pública. Tais considerações podem ser percebidas ao se analisar o Projeto de Lei Complementar 61/2010 e da Proposta de Emenda à Constituição 59/2010 na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, que resultaram nas alterações do nível de escolaridade, comparadas às teorias do planejamento na Administração Pública somado às revisões de literatura sobre o tema.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 O Alferes



Envie seu artigo

Os autores podem submeter seus artigos através da seção de submissão da revista. 

Indexado por:

CAPES - Campus Rio Grande

googleAcademico-Logo - UKTech

 
  

 
 Sobre a Revista | A Palo Seco - Escritos de Filosofia e Literatura

 
    

 

Licença Creative Commons

A Revista O Alferes está sob a licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.